Tatuagens: Já é possível apagar o que antes era eterno

Quem não conhece alguém que já tenha feito uma tatuagem da qual se arrependeu anos depois? Muitas vezes, a tatuagem foi feita aos 19, 20 anos de idade ou em alguma parte do corpo de muita exposição. E aí, ou o motivo do desenho já não se identifica com a pessoa, ou o local da tatuagem causa certos transtornos naqueles ambientes corporativos mais austeros e conservadores.

Cada vez mais, atendemos na clínica pacientes atrás de tratamentos seguros que possam apagar para sempre estas marcas do passado. Pois agora, a boa notícia é que já é possível desfazer o que, anos atrás, representava uma decisão definitiva.

Um das tecnologias mais modernas hoje para remover tatuagens é o Sinon Ruby Laser, um avançado sistema a laser de rubi que retira o pigmento da pele sem deixar cicatrizes. Rápido e seguro, o tratamento com o Sinon Ruby Laser permite trabalhar múltiplos pontos em uma única sessão. Se a tatuagem for extensa, pode-se recorrer – para maior conforto do paciente – à aplicação prévia de anestésico tópico ou uso de anestésico injetável.

As sessões têm duração de dez a 30 minutos, dependendo da área a ser tratada. E a quantidade de sessões depende também da extensão da tatuagem e de outros vários fatores, como: tipo de tatuagem (se amadora, profissional, cosmética ou traumática), cores utilizadas, localização e tipo de pele. As tatuagens amadoras, por exemplo, podem demandar de três a seis sessões, enquanto as profissionais chegam a necessitar de seis a dez.

O clareamento da tatuagem continua acontecendo entre as sessões à medida que a tinta é eliminada pelo próprio organismo. O ideal é que elas sejam realizadas em intervalos de quatro a oito semanas.

Voltar